A importância do aprendizado musical para crianças e adolescentes
out201210

“A música é o instrumento educacional mais potente do que qualquer outro”. A frase é de Platão, um dos maiores pensadores da História. E ele estava certo: a educação musical estimula áreas do cérebro e desenvolve habilidades importantes, como a coordenação motora, a concentração e a socialização.

Se você já toca algum instrumento musical, deve saber do que estamos falando. Se ainda não, está na hora de começar! Aprender música aguça a percepção e desenvolve o raciocínio, mas não é só isso… a música também ensina autodisciplina, paciência e sensibilidade. “Todos precisamos de uma válvula de escape, algo que nos ajude a expressar nossas emoções, sentimentos e vontades. A música proporciona essa liberdade e isto ajuda a vida a ser mais leve“, defende a psicóloga Fernanda Rossi Bergamo.

Daí a importância do aprendizado musical para crianças e adolescentes. Quando trabalhada desde a infância, a música faz com que a criança adquira uma maior facilidade para o entendimento de outras áreas do conhecimento, recebendo normalmente notas mais altas na escola. Além disso, a criança adquire uma estrutura emocional e psicológica que lhe fornecerá bases para uma vida mais saudável. “Já é comprovado cientificamente que o estudo musical desde a infância contribui, e muito, para o desenvolvimento psicológico e social da criança, além de facilitar a percepção musical quando maior”, completa Dhemy de Brito, professor musical e regente de canto infantil na cidade de Santa Fé (PR) desde 2008.

Outro grande benefício que a música proporciona é o espírito de equipe. “Criança gosta de criança, por isso é importante que os pais busquem por escolas que estimulem o trabalho em grupo, seja no esporte ou na música”, destaca Fernanda. Para que uma orquestra ou mesmo um dueto tenha sucesso, todos os  participantes têm que trabalhar em conjunto, respeitando o ritmo de cada um, ajudando o outro e pedindo ajuda quando necessário.

Hoje em dia, saber trabalhar em equipe é algo muito valorizado pelas empresas e organizações. “Dificilmente fazemos música sozinhos. O estudo pode ser individual, mas a prática provavelmente será realizada em grupo. A interação entre músicos é muito forte e a troca de informações é constante, por isso a música é uma boa maneira de melhorar o convívio social”, reforça Daniel Mazini, professor de bateria no Instituto de Bateria Northon Vanalli de Presidente Prudente (SP).

A música também trabalha o respeito, a memória e a persistência da criança. De acordo com o professor de bateria, dedicação e talento são as palavras-chave para se tocar bem um instrumento musical. “Dentro do aspecto dedicação, uma grande parte está relacionada ao tempo gasto com o instrumento, então é claro que começar cedo ajuda muito, até pelo fato de que nesse período a criança tem mais facilidade para o aprendizado”, finaliza.

NA PRÁTICA

Agora que você já entendeu a importância da música para o aprendizado infantil, deve estar se perguntando: onde meu filho pode aprender a tocar um instrumento musical? A dica é do professor de bateria Daniel Mazini: “Procure sempre por escolas idôneas, para que haja um estudo das formas corretas, com embasamento teórico e que coloque a criança no caminho musical correto”.

Faça uma pesquisa na Internet e busque indicações de amigos e conhecidos. Procure conhecer a história e a trajetória da escola de música antes de matricular o seu filho. E mesmo depois que ele já estiver assistindo as aulas, acompanhe o seu desenvolvimento, conversando com o professor e assistindo aos exercícios que ele realizar em casa.

De acordo com o professor Dhemy de Brito, os governos pouco contribuem no ensino musical nas escolas. “Eu sou defensor do ensino de canto coral para todas as crianças! O aluno, depois de musicalizado vocalmente, terá mais segurança em escolher o instrumento que mais lhe agradar“. Ainda segundo ele, o trabalho vocal tem sido um dos meios que muitos professores encontraram para inserir uma atividade musical no contexto escolar. “Há muitas práticas corais envolvendo percussões corporais, que facilitam o trabalho nas questões financeiras e ajudam no desenvolvimento musical”, aponta.

crianças1
MAS QUAL INSTRUMENTO MUSICAL EU DEVO ESCOLHER?

Assim como os brinquedos e a prática de algum esporte, os instrumentos musicais têm a ver com habilidade e gosto. Segundo a psicóloga Fernanda Rossi Bergamo, a decisão é da criança, mas quem proporciona a possibilidade são os pais. “Ela precisa conhecer e brincar com os vários instrumentos existentes: tocá-los, manuseá-los, ouvir o som que eles produzem. Tudo isso irá ajudar na escolha de qual instrumento ela quer tocar”, explica.

Mesmo depois de escolhido o instrumento musical, é recomendado procurar por modelos mais acessíveis financeiramente, já que a chance de seu filho desistir do aprendizado é muito grande. “O melhor instrumento musical é aquele que cabe no seu bolso. O fato de um instrumento ter mais ou menos qualidade não qualifica o músico nem o estudante, e sim o quanto cada um pode fazer de música quando estiver com ele em mãos”, destaca Daniel Mazini. É importante também que você deixe claro para o seu filho que instrumentos melhores virão conforme ele cresça dentro da área que escolheu.

CONFIRA NOSSAS SUGESTÕES

A Sonotec Music & Sound se preocupa com o aprendizado musical desde a infância. Pensando nisso, importamos e distribuímos instrumentos musicais especialmente fabricados para atender os pequenos músicos. Veja algumas dicas:

1 comentário

  1. Pinheiro disse:

    Excelente o texto!!! Concordo em gênero, número e grau com tudo o que foi escrito e já estou divulgando o texto para amigos da faculdade, para as escolas que conheço e para meus alunos e os pais deles. Precisamos de matérias assim para reforçar o que nossos professores de música fazem todos os dias. Parabéns pelo texto!

Deixe seu comentário